Curvelo registra aumento no número de roubos, furtos, estupros e extorsões

Durante o ano de 2016, os moradores presenciaram um aumento considerável no número de crimes registrados em Curvelo. Levantamento da Secretaria de Estado de Defesa Social a de Minas Gerais (Seds) revela que a criminalidade cresceu 24,87%, se comparado com os dados de janeiro a novembro de 2015.

 

Nos 11 primeiros meses de 2016, foram registrados 2179 crimes. No mesmo período de 2015, a polícia havia registrado 1745. A média do crescimento do crime na cidade ficou bem acima da média de 13,6%, registrado no Estado de Minas Gerais.

 

Segundo dados da Seds, os crimes que apresentaram maior evolução em Curvelo foram os casos de roubo consumado, que saltaram de 251 casos em 2015 para 407 em 2016; o furto consumado, que subiu 28,16%, passando de 1076 casos para 1379; e a extorsão, que subiu 125%, saltando de quatro para nove casos.

 

Três tipos de crime apresentaram redução. A lesão corporal caiu de 367 casos para 332, queda de 9,54%. Os casos de estupro consumado, que em 2015 foram cinco, em 2016 ficaram em quatro. E a tentativa de estupro de vulnerável que em 2015 houve um caso não houve nenhum em 2016.

 

Os dados de dezembro de 2016 ainda não foram disponibilizados, mas os crimes devem registar um aumento ainda maior na comparação final.

 

Abaixo planilha com o número total de crimes registrados:

 

Natureza Criminal 2015 2016 Evolução %
Extorsão Consumado 4 9 125,00
Roubo Consumado 251 407 62,15
Estupro de Vulnerável Consumado 10 16 60,00
Furto Consumado 1076 1379 28,16
Homicídios Consumados 13 14 7,69
Estupro Consumado 4 4 0,00
Extorsão Mediante Sequestro Consumado 0 0 0,00
Vítimas de Homicídios Consumados 14 14 0,00
Lesão Corporal Consumado 367 332 -9,54
Estupro Tentado 5 4 -20,00
Estupro de Vulnerável Tentado 1 0 -100,00
Total 1745 2179 24,87

 

Compartilhe esta notícia nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Atenção! Os textos, fotos, artes e vídeos do Mais Completo estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em quaisquer outros veículos de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. Sinta-se a vontade para compartilhar nossos conteúdos em suas redes sociais!